Marianna Perna (Credito: divulgação)

De diferentes formas e por meio de diferentes fontes, todas em sua essência mulheres, os saberes do Sagrado Feminino resistem ao tempo e às transformações tecnológicas do mundo contemporâneo. São lendas, histórias, rituais e transformações que mostraram de diversas maneiras ao longo dos últimos séculos o poder que emana dentro de cada mulher a partir de sua alma, também conhecida como a Mulher Selvagem.

Essa  mulher de muitos nomes – intuição, subjetividade, curiosidade, palpite, presságio – é o cerne desses conteúdos antecessores, que foram passados de mães para filhas ao longo dos últimos séculos, fortalecendo em cada mulher sentimentos e condições muitas vezes sufocadas pelas opressões constantes criadas e perpetuadas por uma cultura machista e patriarcal. Reconhecer e exaltar esses instintos fez com que as mulheres se entendessem cada vez mais, buscando em seus íntimos os caminhos que mais as agradavam e lhes faziam sentido.

Incluindo aí a música e a poesia, que foram os principais terrenos de criação da poetisa brasileira Marianna Perna. Ela lançou na semana passada seu primeiro single, “Abertura”, que é também a primeira faixa de seu novo projeto, o livro-disco A Cerimônia de Todas as Vozes. O nome da canção não segue uma linha literária à toa, justamente por se tratar de um poema. Sim, um poema, só que musicado.

De acordo com o informativo de imprensa enviado por Perna, “”Abertura” é uma evocação inicial das vozes das mulheres escritoras que continuam a guiar os passos poéticos da artista. É fruto de intensas pesquisas da palavra poética realizadas por Marianna, que analisou os diversos estados e possibilidades, da poesia escrita à oral, sonora, em diálogo com a música e com os ruídos”.

Além disso, o lançamento do single traz um pouco da linguagem musical que será trabalhada em A Cerimônia de Todas as Vozes, resultado das importantes contribuições que os músicos convidados – amigos e artistas que Marianna acompanha e admira – imprimiram à criação, espécie de laboratório coletivo so017b sua condução.

Nomes conhecidos como Hélio Flanders (Vanguart), Carlos Gadelha, César Ricardo, Felipe Antunes e João Leão formam a equipe por trás das trilhas sonoras do livro-disco, cuja previsão de estreia é início de 2018.

Veja o videoclipe abaixo: