Tramp entrevista: 2DE1


2DE1 (Crédito: Nube Abe)

“É preciso estar atento e forte”, cantou Gal Costa em 1969, na canção “Divino Maravilhoso”. E atentos e fortes estão os irmãos gêmeos Felipe e Fernando Soares, que por meio da arte se posicionam a favor da diversidade com o projeto 2DE1. Envolvente e acolhedora, a sonoridade da dupla é também aberta e livre. Nos shows Fernando se apresenta como a drag Triz, potencializando os versos românticos e sinceros que pregam a liberdade de gênero, de afeto e da vida.

Com o clipe “Transe” recém-lançado, a 2DE1 comenta sobre o disco homônimo, de 2017, a carreira da dupla e o atual momento do Brasil num papo exclusivo para o Tramp. Conheça mais da 2DE1:

“Transe”. É um nome muito significativo para um disco e para uma música. Para 2DE1, neste momento, “Transe” representa o quê?

2DE1: Transe é um álbum que fala de amor e de liberdade, e continua, e sempre continuará bradando amor e liberdade. Mas nesse momento, além disso, representa um transe coletivo que a gente precisa ter. Precisamos nos unir, nos fortalecer e ir à luta. Precisamos muito dos nossos pra nos proteger e continuar resistindo.

O clipe é muito sensível e poético, traduz a individualidade e o respeito a diversidade de uma forma muito bonita. Como vocês chegaram a esse roteiro?

2DE1: O roteiro veio em conjunto com o Alê (Alexandre Vianna). Discutimos bastante sobre o que queríamos expor no clipe e chegamos nesse resultado. A canção fala sobre se colocar na frente, sobre deixar fluir quem você é, por isso optamos pelas flores/galhos secos como metáfora. Elas são únicas, só precisamos deixar florir nossa essência. Aí foi juntar todo mundo, pegar um pouco de cada um, dos dançarinos, do coreógrafo Pietro Almeida e da liberdade das crianças para construir toda a narrativa.

A 2DE1 terá mais lançamentos pra este ano ainda? Como estão as novidades?

2DE1: Sim! Temos algumas coisas a serem lançadas, tanto no sentido audiovisual, quanto música nova. A gente tá se organizando direitinho. Não podemos parar, principalmente agora, nesse momento do Brasil.

2DE1 (Crédito: Nube Abe)

O respeito é uma mensagem clara na música de vocês. Quais outras mensagens vocês se buscam transmitir por meio da arte da 2DE1?

2DE1: Quando a gente estava construindo o álbum, as palavras que surgiram naturalmente nas canções eram respeito, amor e liberdade. Mas a mensagem principal é dizer que as pessoas não estão sozinhas. Por mais diferentes, não estamos sozinhos.

O que não anda saindo da playlist do Fernando? E do Felipe?

Fernando: Tenho escutado muita música baiana, Xênia França, As Bahias e a Cozinha Mineira, dentre outros artistas. E tenho escutado bastante Chico, Caetano, Bethânia, tenho precisado me munir de cantos de liberdade nesses tempos sombrios.

Felipe: Da minha playlist não sai Daniel Ceaser, Tom Misch, e os mesmos Chico, Caetano, Bethânia. Precisamos disso.

Previous Tramp entrevista: André Prando
Next Tramp entrevista: Pitaias